domingo, 18 de agosto de 2013

(Entreparênteses) - Uma série recuperada



É mais ou menos desse jeito: antigamente eu tinha um caderno, onde guardava as coisas que escrevia. Daí, resolvi fazer isso publicamente, como todos já sabem, e os textos foram ficando "guardados" aqui no blog. Mas não escrevo só aqui, não. Na rede social famosinha e mais frequentada, estou sempre emitindo minhas opiniões. Depois, quando olho aqueles posts da rede, vejo que escrevi um texto: meio crônica, meio conto, meio poesia, meio um pouco de tudo e meio nada disso. Não tem classificação didática - eu acho. O cotidiano não se classifica. Vive-se. E lá, é o cotidiano, e não o sonho e o lirismo, que mais importam. Diferente do que geralmente acontece aqui, no Manuscritos.

Como é de conhecimento de quem lê meu blog, também tenho problemas com posts em séries. Um belo dia, resolvi que escreveria vários textos, por uma semana, com a mesma nuance porém com enfoques diferentes. A mesma temática. A primeira tentativa ficou do jeito que eu queria, um post a cada dia. Uma série de uma semana, com o desfecho no fim. Aí, tentei a segunda série. Estava cheia de idéias, mas não as escrevi logo. Comecei a postar e me senti perdida, esqueci tudo o que queria falar. Nem teve desfecho. Tentei uma terceira séria, fiasco total, nem sei como chegou ao terceiro post.

Agora vai ser diferente. Diferente e igual ao mesmo tempo. Igual porque vai ser uma série. Diferente porque já tem vários posts escritos,. Resolvi guardar aqui, no meu caderninho moderno, coisas que postei na rede social. Para não ficarem perdidos por lá, pois à medida que você posta coisas novas, as antigas ficam difíceis de achar, resolvi recuperá-los e guardar tudo aqui, no blog.

Vou começar pelo último, porque tem mais a ver com o momento político, e não quero que as coisas percam sentido. Gosto da vida com significado. O título que aqui vai (Mc Lanche Político) não é de minha autoria, é da Ju, uma amiga que compartilhou o texto e deu esse título. Então, começa hoje o (Entreparênteses). Mais relacionado às notícias do nosso dia-a--dia, com menos romantismo, mais pitada de humor e sarcasmo. Porque há coisas que se diz e pensa entreparênteses. Mas que deviam vir escancaradas. Lá vai:


(Mac Lanche Político)

A minha ingenuidade ainda me espanta, acredita? Eu juro que achava que o objeto de importação eram as matérias-primas, os insumos e os produtos industrializados. Juro!
Mas parece que agora importa-se também profissionais. O que, devo dizer, pouco me importa, mas ainda me espanta.
O número 1 na lista das importações é o médico (tipo Big Mac: dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles num pão com gergelim. Gostoso assim, tinha que ser o médico). 
Parece que o número 2 vai ser o engenheiro. 
E se ficar mesmo confirmado isso, está instituída a "McDilma's-Entrega: Peça pelo número". Afinal, em 8 anos, o Brasil passou a ser um fast-food. Com direito a obesidade na conta bancária de muitos PolíTicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!