quarta-feira, 8 de maio de 2013

Poemas livres

                                                                            Foto do meu amigo, o fotógrafo Thiago Machado


Não deixe preso o poema que há dentro de você. Solte-o. Solte-o por aí. Deixe-o ser livre. Porque liberdade é o nosso bem maior. Bem, há controvérsias sobre isso, talvez tenhamos vários "bens maiores". O importante é que já existe tanta coisa presa... Aquela confissão que não se fez... aquela vontade que se deixou passar... aquela palavra dita só na imaginação pelo medo de ser ridícula... É tanta coisa presa, que sufocou e murchou e corre o risco de morrer. Então, para não ficar aí colecionando palavras não-ditas, risos não-gargalhados, coisas-contidas, é bom começar a soltar. Solte tudo. Mas pode soltar aos pouquinhos, para ir se acostumando... Vá devagar no início... Liberte todo o sentimento que te reveste por dentro. E livres, você vai ver, eles começam a voar, e espalham-se por aí. Feito uma revoada de pássaros, que toma formas diversas. E qualquer que seja a forma, será no fim, uma poesia. Porque a vida toda, todinha, é um poema. Às vezes sem rima, outras vezes sem graça, por vezes lírico, dramático ou cítrico. Olhe e veja. E sorria. A vida toda tem seu ritmo. Pulse poesia. Porque é tudo a mesma coisa: o pulso, a vida, o poema, a respiração, a nostalgia, o medo, a saudade, o amor, a alegria. Fragmentos de uma vida sem ensaio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!