terça-feira, 14 de maio de 2013

Coisas que a gente não sabe


Há coisas que a gente não sabe. Coisas sobre as quais só se pode imaginar. Feito presente que não foi aberto. Caixa fechada pelo medo de gostar demais. E guardado no fundo do baú, naquele quarto em que ninguém dorme, fica lá. Presente que nunca fez sorrir. Presente que não fez brilhar os olhos. E sorrir, e brilhar os olhos, e derramar-se de alegria, é coisa que a gente imagina, que aconteceria, se, por ausência do medo, tivesse aberto o presente, daquela caixa bonita, ofertada pela vida.

O que a vida não sabia, ao mandar o presente, é que o mundo é muito, muito pequeno. E seus habitantes têm em si coisas estranhas, aos quais chamam de sentimentos. E o que a vida ainda não sabe é que esses sentimentos os pegam de surpresa, e nem todos esses habitantes sabem como lidar com eles. Na verdade, bem poucos deles sabem. E por não saberem como fazer, às vezes, nada fazem. Por culpa de um troço chamado medo. Que não deixa revelar. Que não permite mostrar. Que não arrisca abrir o presente. Ah... Essa vida é uma menina cheia de travessuras... E não se cansa, e gosta, de enviar surpresas a esses habitantes...

E eu daqui só faço torcer. É só o que posso fazer. Presentes entregues. Serão abertos? Como disse, há coisas que a gente não sabe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!