terça-feira, 14 de agosto de 2012

O amor nos tempos da rede wi-fi


Eu quero alguém para mim. E preciso dizer isso escrevendo, colocando letra após letra, dando sentido a uma frase, formando um parágrafo, tornando coeso um texto. Preciso dar forma ao meu desejo. Um homem com defeitos, problemas, medos e dúvidas. Normal. Mas que seja para mim. E que vista-se de coragem quando eu não encontrá-la. Que segure a minha mão quando as montanhas me assombrarem. Que seja céu quando eu for sol e que seja sol quando eu for terra, para que nele eu brilhe e para que em mim ele faça tudo ser vida. 

E sendo eu uma onda, que ele venha em mim surfar. E quando meu mar for lago manso, que seu barco esteja lá. E que eu seja alimento para a fome da rede que ele lançar. E sendo tudo isso, que o senso prático não nos abandone, pois é preciso ganhar o pão, fazer a comida, lavar a roupa, deixar a casa limpa e em meio a tudo isso ser amor e ser feliz. 

E para ser feliz, tem que ter rock, trilha na mata, praia quando der vontade, bicicleta na rua, música para dançar, viagem de aventura, amigos para compartilhar, família para reunir no ninho. E livros. Coisas simples. Coisas às vezes raras e deixadas de lado por tanta gente. Pois todo mundo é diferente. E a mesma tal felicidade para o outro pode ser que tenha que ter samba, shopping, vinho com lareira, carro novo e silêncio, futebol e churrasco. Diferenças administráveis mas que precisam ser resolvidas sem causar incômodo. Tecer o relacionamento numa trama sem fio. Porque um dia, tudo o que se abre mão por força da força, explode. E queima o amor na explosão.

É por essas e outras que é tão difícil. E é por isso que tanta gente quer alguém e não encontra o caminho. Porque antes de tudo, é preciso estar disposto. É preciso querer construir. Uma matemática em que o resultado da equação seja maior do que o que a lógica alcança. Sem explicações. Apenas com a vontade de fazer com o outro uma jornada intensa e de felicidade. Assim. É assim que eu quero o meu alguém. E ele tem a forma que abriga todas essas possibilidades. Só não conheço ainda o rosto dele. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!