sábado, 3 de março de 2012

Sobre pérolas e amizades




É hora de encerrar a série. Eu teria muitas outras frases para postar, mas resolvi que ainda não é o momento. Quem sabe numa nova temporada - e aí já teremos um seriado? Rs! Hoje tenho vontade de dizer apenas que tenho amigos incríveis. Verdadeiras preciosidades. Amo-os todos. Com o kit completo que eles têm, incluindo a impetuosidade, volatilidade, manias, caduquices, tolices, birras, limitações. São o que são e gosto deles porque são o que são.

Uma dose a menos de qualquer coisa e já não seriam eles próprios, seriam outros. E então, sendo outros, não são os amigos que amo. Não aceito seus defeitos. Não tolero suas lerdezas. Não engulo suas impaciências. Gosto. Gosto dos defeitos, das lerdezas, das impaciências. Quem aceita, faz barganha. Quem tolera, se aprisiona. Quem engole, não degusta. Gosto deles e curto sorver suas loucuras. Amizade é amor. E o amor, já disse alguém, liberta!

Um viva à liberdade, ao amor, à amizade, às perolas e ostras, às preciosidades que cada ser humano contém em si. Porque se sua consciência pode ser um cão, que seja forte, dócil e seu amigo. Se for para você mergulhar sexualmente em alguém, que seja bom o bastante para você sentir que há frases que são apenas engraçadas. E se houver em você alguma dúvida sobre o seu teor de bem e mal, que você seja logo um absintho, com teor de bem oscilando em  70%. E que você não pare nas horas e nem deixe o tempo te levar. E pertencendo ao modelo dos obsoletos ou não, o que todo mundo quer é ser amado. Faça da sua estória uma mina de pedras preciosas, uma joalheria muito chique se esse for seu estilo ou então mergulhe... há ostras e pérolas que não estão em cativeiro! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!