quinta-feira, 22 de março de 2012

Dos demônios e outro amor




Não sei se é porque tenho pensado muito em Cartagena, uma coisa leva a outra, penso na menina dos cabelos muito compridos, o convento de Santa Clara e inevitavelmente uma coisa não me sai da cabeça: os meus demônios. Tenho muitos, dentro de mim. Interessante é que os possuo. Não sou por eles possuída....

A ansiedade é o que considero pior. Vim com uma cota de paciência para esse mundo e a consumi toda.  Zero no estoque. Daí, sobrou a tal ansiedade, que se veste às vezes de impaciência. Tenho também raiva, tristeza e dúvida morando aqui no meu ser. Sem falar no medo. E assim, um a um, eles vão se dando as mãos e tomando corpo. Manifestam-se de tempos em tempos, fazem-me lembrar de minha natureza humana... Explodem! E eu com eles.

Procuro melhorar. Procuro fazer de minha alma um recanto doce, com o som das ondas do mar, o cheiro de mato e de terra molhada, onde habita a luz. Para espantar pra bem longe esses demônios insolentes. Mas entre procurar fazer e conseguir, vai uma distância... Por vezes sou tomada de tanta, tanta escuridão, que nem me reconheço. Mas não sinto nada de errado com isso. 

Sinto-me autêntica, humana, nem boa nem má, nem Caim nem Abel, nem luz nem treva. Ser em evolução. E me permito, alguns dias, estar de mau humor sim. Não acredito nessa alegria que todo mundo tem, nessa superior espiritualidade que todos querem transparecer. Estou farta do alto astral crônico coletivo. Essa coisa de gente boazinha que tá bem o tempo todo irrita. Será que engana alguém?

Nem só de chocolate ao leite vive a fábrica de chocolates; um meio amargo contribui muito para apurar o paladar. É o que penso. E meu paladar é apurado. E mais uma vez, termino comparando tudo a um sabor. Porque isso a vida tem de sobra: sabor variado! Só sei que de gancho em gancho emendei o assunto, e quase acabo esquecendo do amor. Veja bem: outro amor. Pois de demônios e amor antigo também estou farta. Portanto, outro amor ainda está na esfera da vontade.

2 comentários:

  1. Oi, Cris!

    Obrigada pela sua visita, e pelo comentário fofo. Claro que vc pode usar o texto, compartilhar, enfim, tá à disposição.

    Você escreve muito bem, de forma autêntica, que é a forma mais bonita. Parabéns.
    (sobre pessoas boazinhas que são felizes o tempo todo, tenho medo delas. Como dizem por aqui, "a vida não é bolinho").

    Beijo
    Be

    ResponderExcluir
  2. Adorei a sua visita, Be! Que linda! Estou "toda toda" com seu elogio. Obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!