domingo, 22 de janeiro de 2012

Quando não sei o que fazer...

A verdade pura e simples é que travei. E quando não sei o que fazer, não faço nada. Não sei o que escrever, tolhida que estou pela possibilidade de alcance dos meus pensamentos. Escrevia como se fosse para mim somente. Mas estou sendo lida. Não que eu não goste, é claro que gosto! Acho incrível! Mas de repente, não sei o que escrever.

Estou me habituando ao fato de isso ser um blog e só um blog e que isso é coisa pra caramba ao mesmo tempo. Saber que minha página foi aberta na Alemanha 6x, no Reino Unido 5 e 1 nos Estados Unidos me fez pensar na dimensão das distâncias hoje, em quanto são curtas e que muitas vezes estamos próximos no coração de alguém que fisicamente não está ao nosso lado. Mil coisas ando pensando. Pensando, sentindo e absorvendo. E quando tudo isso começar a tomar corpo em letras, palavras e frases, volto aqui pra registrar. Tenho fotos que quero compartilhar também. Mas ontem, hoje, especificamente nesse meu agora, não sei o que fazer. Isso é raro. E percebo nisso uma intensidade, uma nuance tão incomum de mim mesma, que queo estar comigo nesses dias de "fazer nada por não saber como agir diante da inusitada situação de me perceber lida por quem nem sei que me lê".

Não é excesso de importância. É surpresa. Boa e com medinho. Que quero curtir bastante até que as palavras voltem a formar frases sozinhas sem que eu precise fazer força. Até lá, que pode ser amanhã, acho que não demora, ficarei aqui, dentro de mim mesma. Quieta. Em silêncio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!