quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Lenda ao Reverso






Reza a lenda, que o sol e a lua amavam-se muito. Um amor nunca antes visto. Entretanto, uma ironia do destino não permitia que eles ficassem juntos. Amor impossível, tema lugar-comum de folhetim novelístico. Mas aqui, recheado de encantos folclóricos, uma lenda nossa, acho que indígena, que não sei bem contar com pormenores. Neste amor impossível, o sol, quando se aproximava da lua - e o amor deseja ardentemente a proximidade - a queimava com seu calor. Queria a vida qe os dois se separassem, lua não podia ficar com sol. E como se amavam... Contudo, a solução encontrada foi o sol ficar com o dia, a lua com a noite; quando um estava no céu, o outro não. E dessa separação, lágrimas sem fim foram choradas por ela, mocinha romântica sem final feliz. E chorou tanto, tanto, tanto, lágrimas em tamanha abundância, que fez nascer o Rio Amazonas. Bonito, né? Foi pensando nisso, que escrevi Lenda ao Reverso, há tanto tempo atrás que nem ouso dizer quanto, afinal, é suficiente saberem que habito este planeta de longa data, rs.

Lenda ao Reverso

Sol
moreno
ardente
me queima
e surpreende
ao menos com teu breve encontro
porque já não posso
viver com você.
Pois sou lua
branca
apaixonada
nua
na noite fria
sua
e ainda que eu derreta toda
quero ter você.

3 comentários:

  1. Belíssima historia!! lindas palavras...uma vez eu escrevi algo parecido, era o amor entre a estrela do céu e a estrela do mar.....
    Mas como tudo na vida, por mais impossível que seja, existe os milagres inexplicáveis.
    Viva o eclipse! o dia mágico que os amores se encontram!

    ResponderExcluir
  2. Nunca mais vou ver os eclipses da mesma forma, Lilian! Daqui em diante sempre vou pensar nisso: nos amores que se encontram. Um viva aos encontros da vida!

    ResponderExcluir
  3. e como diz a famosa frase: "O que é bom dura tempo suficiente para ser inesquecível"....não importa o tão rápido que poe ser esse eclipse, o encanto e a força desse momento são tão mágicos que até o céu dorme por um minuto em silencio.....e eterniza com certeza esse encontro em forma e poesia!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Responderei ao seu comentário em seu respectivo blog.
Até mais!